Sérgio Vaz: ‘Apalpe é um projeto vigoroso. Fiquei encantado com o que eu vi’

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Numa Ciro: ‘Presenciei um dos melhores programas da minha vida’

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Alexandre Damascena: ‘A gente pode criar nossas próprias oportunidades’

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Néris Cavalcante: ‘Ouvir pessoas que não teriam espaço pra falar foi muito bom’

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Programa ao vivo – Apalpe, a palavra da periferia.

Assista hoje, dia 22 de janeiro, a partir das 19 horas, o programa Apalpe – A palavra da periferia, ao vivo. É só acessar o link abaixo:

http://www.ustream.tv/channel/apalpe—a-palavra-da-periferia

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

Mais um dia de Apalpe com muito cinema, teatro e debates

Rafaelle Castro, Écio Salles e George Araújo

Uma roda de debate comandada pelo secretário de Cultura e Turismo de Nova Iguaçu, Écio Salles, abriu as programações do Apalpe nesta sexta-feira, dia 21, na Cia. Dos Atores, na Lapa. Para falar sobre o processo de ensino do projeto, coordenado pelo cineasta Marcus Vinícius Faustini, foram convidados o ativista cultural George Araújo, que participou da oficina Guias Afetivos, no Sesc Madureira, e a socióloga Rafaelle Castro, aluna do Apalpe na Escola Livre da Palavra, na Lapa.

Écio explica ao público que lotou o auditório da Cia. Dos Atores que a ideia do encontro é debater a impressão dos alunos do Apalpe ao longo do processo criativo. Para George, o projeto teve papel decisivo no desenvolvimento da sua escrita. “Me surpreendeu descobrir que a escrita não era um fim. A arte era o fim. A ideia era escrever em cima de dispositivos. O processo é rigoroso e a coisa é séria”, enfatiza.

Para Rafaelle, o Apalpe significou circulação, contato e encontro. “Conheci pessoas que eram muito parecidas comigo, pessoas que circulam pela cidade. Isso foi pra mim o pulo do gato pra compreender o que eu estava fazendo ali. Eu continuo me perguntando pra que serve o planejamento urbano. O Apalpe me ajuda a juntar tudo”, conta a socióloga.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Internautas enviam perguntas para debatedores do Apalpe

Logo após as primeiras falas dos integrantes da mesa do Apalpe, a internauta Cristina Souza enviou pelo Twitter do projeto – @defavelas – a seguinte pergunta: “Qual é o lugar de uma pessoa na cidade”. O ativista cultural George Araújo respondeu: ”Não existe um lugar específico para uma pessoa na cidade. O lugar é onde você está podendo exercer alguma observação, horas interagindo e horas captando elementos”.

Público do Apalpe aproveitou para fazer perguntas aos debatedores

Faustini também aproveitou para fazer uma pergunta: “Vocês estão falando muito da referência em mim. Mas ao mesmo tempo, todo a minha estratégia era colocar vocês negociando um com o outro, pois criar é uma negociação com o mundo. Como foi pra vocês terem que negociar com as estratégias e com os outros atores do apalpe?”.

“Encontrei pares no desejo de circular pela cidade. Nunca havia convivido com atores, por exemplo, e isso foi uma experiência renovadora. Sobre negociar, o desejo era igual, mas pude perceber as diferenças. Convivi com pessoas com ideias parecidas com as minhas, mas com outro formato. Negociar esse espaço com o outro foi muito interessante”, responde Rafaelle.

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário