Apalpando: Aderaldo Luciano

Como a regra do Apalpe é fazer diferente, Aderaldo chegou disposto a desconstruir a ideia, que ele chamou de senso comum, de que o cordel é uma arte “simples, feita por analfabetos”. E de fato não há como chamar o cordel de simples depois de ouvir a história do surgimento do gênero contada por Aderaldo.

Ele voltou lá no final do século XIX, na cidade do Recife, para contar ao público como que 4 paraibanos criaram essa arte que muitos chamam de simples. Ao longo da história, Aderaldo fez questão de destacar como o ambiente acadêmico brasileiro não nutre muita admiração pelo cordel e entre críticas, bradou: “a academia morreu, hoje o que existe é um amontoado de egos”.

Passada as críticas Aderaldo contou que nunca se produziu tanto cordel no Brasil quanto se produz hoje, ainda que ele não seja difundido na mesma intensidade. E terminou a oficina lembrando aos presentes que o cordel é a única expressão literária originalmente brasileira que sobreviveu ao passar dos séculos.

Conheça o blog de Aderaldo: http://adercego.blogsome.com e acompanhe a cobertura ao vivo do Apalpe no twitter: @defavelas

Aderaldo Luciano_a palavra da periferia

Sobre alebizoni

Jornalista especializada em Mídia e Educação
Esse post foi publicado em Eventos. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s