Desenrolando sobre o Apalpe

Participantes exercitam a criatividade a cada encontro

O Apalpe ainda está no vermelho. Mas o balanço é positivo.

O saldo dos seis primeiros encontros das oficinas do Apalpe é um grupo coeso, integrado.

Os apalpianos trabalham incessantemente para definir procedimentos eficazes para dar vida ao turbilhão de idéias que pipocam todos os sábados, quando a turma se encontra, no Ibam.

O vermelho, que desde o processo seletivo marcou os encontros do Apalpe, persiste, impassível. Encontrar objetos muito grandes e muito pequenos, que sejam expressivos, levam o grupo a quebrar a cuca, bolando idéias originais para apresentação no mês que vem.

Previsto para acontecer até o final de setembro, um  “happening” vai marcar o encerramento do primeiro módulo do Apalpe.

A partir do material produzido nas oficinas, o grupo criará performances e fará apresentações, que acontecerão numa instalação da cidade.

Sobre alebizoni

Jornalista especializada em Mídia e Educação
Esse post foi publicado em Sobre o processo e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Desenrolando sobre o Apalpe

  1. Cristina Hare disse:

    São vários corpos e uma só corrente sanguínea.

    Hare
    http://www.tvhare.com

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s